Relação Ética x Serviço Público é tema de curso para servidores

A palavra “Ética” é provavelmente uma das mais antigas a compor nosso vocabulário. Até cerca de 30 anos atrás era exclusividade do linguajar de especialistas, mas neste ínterim, tornou-se quase um jargão, sendo constantemente repetida no espaço público. O que não é exclusividade do Brasil, tendo invadido sociedades pelo mundo afora. Mas, por que antes a palavra estava restrita aos ambientes acadêmicos e, agora, é tão presente? Que tipo de problema novo estamos tendo de enfrentar?

É no intuito de entender a essência deste conceito e, principalmente, como agregá-lo a práticas, usos e saberes no âmbito da Administração Pública Estadual, que o cientista político, professor e jornalista Clóvis de Barros Filho (USP) vem compartilhando seus conhecimentos sobre o tema com os servidores do Governo de Goiás, por meio do curso “Ética no Serviço Público”, uma parceria entre a Secretaria de Estado de Desenvolvimento e Inovação (Sedi), Controladoria-Geral do Estado (CGE) e Secretaria do Estado de Administração (Sead), por meio da Escola de Governo. 

“Ética é a busca da inteligência para identificação da melhor conduta, da melhor ação, do melhor comportamento”, afirma Clóvis ao introduzir o debate, na palestra “O lugar das escolhas”, que tem como objetivo disseminar os fundamentos da ética na administração pública estadual, indispensável ao pleno exercício das atividades desenvolvidas diariamente, nos mais diversos campos de atuação, por todo servidor público. 

Face à necessidade de mostrar aos participantes que eles devem incorporar os preceitos éticos e também para uma perfeita compreensão e transformação da sociedade, a capacitação segue até o mês de agosto. Ao final do curso, espera-se que os participantes sejam capazes de reconhecer a importância da ética para a construção de uma gestão pública mais humanizada e uma sociedade mais justa.

Clóvis de Barros esclarece que “a ética é a alternativa de conduta que tenha melhor valor para nós. Por isso, é indissociável da liberdade”, mas deixa claro que a transparência e comunicação são essenciais para o processo. “Faça de tal maneira que todos saibam de tudo, sobre todos, o tempo inteiro e em qualquer lugar”, conclui o professor Clóvis de Barros. As reflexões conduzem servidores a reverem e adotar princípios e normas, de maneira a tornar o serviço público cada vez mais eficiente na hora de servir às pessoas.